AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
VIOLÊNCIA

Irmãos, de 16 e 20 anos, reagem e são baleados pela PM durante ação para dispersar aglomeração na Palmeirinha

Caso ocorreu na noite desse sábado (11)

domingo, 12 de julho de 2020 - 08:58:00

Um adolescente de 16 anos e o irmão dele, de 20 anos, foram baleados por policiais militares na noite desse sábado (11 de julho) após eles reagirem a uma ação de dispersão de aglomeração de pessoas no distrito das Palmeirinha, em Guarapuava.

A ocorrência foi registrada às 23h49, na rua João de Deus Biscaia. Os policiais foram acionados através do telefone de emergência, que apontou uma denúncia de que na residência estava ocorrendo uma festa, com som excessivamente alto e consumo de bebidas alcoólicas, em flagrante desobediência às medidas de prevenção ao combate à Covid-19 e perturbando o sossego dos moradores.

No local, os PMs constataram uma aglomeração com aproximadamente 20 pessoas, sendo verificado som excessivamente alto originado do porta malas de um veículo Peugeot 207, estacionado. O proprietário foi orientado quanto ao descumprimento de medida sanitária relativa ao coronavírus, conforme decretos municipal e estadual, bem como da perturbação do sossego. O proprietário solicitou que os convidados se retirassem, porém começou a questionar e discutir com a equipe, quando alguns dos presentes iniciaram uma discussão entre si, saindo e retornaram dizendo: “não iremos sair, aqui porco não manda”, investindo contra a equipe policial, com pedaços de madeiras, pedras e um deles com uma faca, sendo advertidos a se afastarem, pois, se necessário a equipe policial usaria força. Não sendo acatada a ordem e continuaram investindo rumo à equipe policial, a qual se defendia primeiramente com uso de tonfas, e, na seqüência, teve que realizar disparos de arma de fogo em direção ao solo, na tentativa de impedir a ação dos mesmos, porém sem sucesso, pois um deles, posteriormente identificado por um homem, 20 anos, de posse de uma faca avançou em um policial, seguido pelos demais. O policial, para resguardar sua integridade, efetuou um disparo de arma de fogo, atingindo-o na perna direita.

Outras pessoas investiram no outro policial, tentando tomar-lhe a arma, e o adolescente, 16 anos, pegou uma pedra para acertar na cabeça do policial, acertando-lhe o braço, obrigando ao mesmo a também, no intuito de resguardar sua segurança e a segurança do seu companheiro, devido à superioridade numérica das pessoas no local e seus ânimos em agredir a equipe policial, efetuar um disparo de arma de fogo, atingindo o indivíduo na perna esquerda. De imediato foi solicitado socorro médico, comparecendo no local uma equipe do Samu, os quais prestaram atendimentos e conduziram os feridos ao Hospital Santa Tereza para realizar exames e posterior atendimento hospitalar.

Foi solicitado apoio de outras viaturas, sendo que as pessoas presentes, ao perceberem a aproximação das demais equipes policias, se evadiram, não sendo possível a abordagem e suas identificações. Os demais indivíduos foram conduzidos ao cartório do 16º BPM para confecção de termo circunstanciado, onde foram liberados após os procedimentos.

Já no cartório de termo circunstanciado, o autor começou a passar mal, com dificuldade para respirar, sendo acionada uma equipe Samu para lhe prestar atendimento médico, os quais após atendimento liberaram o mesmo. A mãe do adolescente e do maior acompanhou todo procedimento, uma vez que os dois encontram-se hospitalizados, inclusive sendo cientificada da responsabilidade de apresentar seus filhos em audiência na data agendada.

COMENTÁRIOS