AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

AÇÕES DE GRAÇAS

por: Jairo Filho

sábado, 30 de novembro de 2019 - 16:42:00

A Palavra de Deus diz: “Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus”. (I Tessalonisenses 5:18). Precisamos refletir sobre gratidão a partir destas perguntas:

Devemos dar graças a quem? Devemos dar graças a Deus. A cosmovisão bíblica nos ensina que Deus - o Criador e Provedor do Universo – se relaciona com a humanidade como Ser pessoal através de sua santa vontade moral. Por isso, não há gratidão à impessoalidade do destino, aos acidentes dos acasos, às supostas leis impessoais do universo.

Por que devemos dar graças? Devemos dar graças, “pois está é a vontade de Deus”. Deus exerce senhorio soberano sobre toda sua criação, sobre todas as pessoas e sobre todo o enredo da história. Ações de graças é resposta a um imperativo divino que intervém soberanamente, pessoalmente e constantemente na vida de todos nós.

Quando devemos dar graças? Devemos ser gratos em todas as circunstâncias, e não por todas as circunstâncias. Há uma grande diferença entre ser grato sempre e ser condicionalmente grato. Ser “grato em” é uma decisão em submissão a Deus; ser “grato por” é uma condição temporária e limitada às sensações de bem estar. Por exemplo: Jamais agradecemos alegres pelo câncer; mas, sejamos sempre gratos apesar da tristeza dolorida do câncer. Ter uma fé grata na dor é milagre de Deus.

E dar graças pelo que? Diante do espelho da Palavra de Deus, nos flagramos como pecadores destinados à perdição eterna (pior do que câncer); mas, ao mesmo tempo, recebemos a boa notícia de que somos amados, perdoados e salvos imerecidamente (bem melhor do que a cura do câncer). Por isso, gratidão é enxergar Deus como desobrigado a nos dar uma vida melhor; é enxergar toda dádiva como imerecida.

Ser grato pra que? A cultura do consumismo desenfreado tem “coisificado” experiências de vida e as pessoas como produtos de consumo. Fabrica clientes mimados e gulosos, exigentes do melhor, com a ameaça de levar tudo ao proncon, caso não sejam satisfeitos imediatamente. Resultado: Há patrocínio de murmuração dentro do coração egoísta e repulsivo à gratidão. Por isso, o imperativo divino para ações de graças é para nos libertar ao “descoisificar” a vida. É para moldar e mudar o coração em contente, altruísta, desprendido, doador e sensível a admirar, com riqueza de detalhes, todos os detalhes das riquezas da vida. É nos libertar do tédio, da murmuração e da infantilização. Enfim, ações de graças é para a glória de Deus em nos santificar em Cristo Jesus.

Em Cristo, em quem somos gratos em todas as circunstâncias para a glória de Deus. 

Jairo Filho – Pastor da Igreja Presbiteriana Bonsucesso

COMENTÁRIOS





Palavras do Jairo Filho

Jairo Filho

Pastor da Igreja Presbiteriana Bonsucesso, mestrando em Teologia e licenciado em História.

Mais textos de Jairo Filho