AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos

O que mesmo está acima de tudo e de todos? Ou: O falso Messias

por: Alessandro de Melo

sexta-feira, 26 de julho de 2019 - 14:20:00

* Por Alessandro Melo

Sim, caros leitores desta humilde coluna, hoje não vou economizar palavras para descrever o governo do Messias Jair Bolsonaro. Não podemos nos calar frente à ignomínia que representa este governo de cariz fascista. Pergunto ao caro e à cara leitor ou leitora: será mesmo que o Brasil está acima de tudo e Deus acima de todos neste desgoverno?

Claro, a questão de Deus deixo para cada qual em sua intimidade pensar, mas coloco desde já uma questão: seu Deus apoiaria posse de arma? Seu Deus apoiaria o fim das multas para quem não tem cadeirinha para criança no carro? Seu Deus apoiaria a misoginia e o racismo? Apoiaria o preconceito contra nordestinos? Apoiaria um presidente amigo de criminosos milicianos? Apoiaria um presidente que declaradamente quer colocar o filho 03 na mamata em Washington? Apoiaria um presidente que ajuda a esconder crimes dos filhos? Seu Deus não gostaria de saber onde está o Queiroz? Seu Deus concorda com declarações de guerra contra a Venezuela? Só pra adiantar minha resposta: meu Deus, se o tenho, é do amor, não da guerra nem do preconceito nem da violência ou das armas. Meu Deus, se o tenho, é dos pobres, não dos ricos, como é o Deus do Messias Jair Bolsonaro.

Mas o que me importa não é a questão religiosa. É a questão econômica. A expressão “combate ao desemprego” parece proibida neste governo. Eu particularmente não conheço nenhuma iniciativa de combate ao desemprego vinda deste desgoverno, vocês conhecem? Não, não conhecem, sabe por que? Porque não tem. Porque o Messias Jair Bolsonaro não se importa com os pobre e com os desempregados. Ele, aliás, não está nem aí, desde que sua horda terrorista na internet esteja engajada. É só isso que importa pra ele. Nada mais.

O que me importa discutir é nossa soberania. O desgoverno atual vem fazendo de tudo para se submeter aos EUA do Trump, para agradar ao Big Brother. Para eles já foi a EMBRAER, está indo parte do petróleo para empresas multinacionais, a Reforma da Previdência agrada mais os yuppies da Bolsa de Nova Iorque que qualquer brasileiro, assim como todo bloqueio ao agronegócio, que agrada ao agro americano. Nossa Base de Alcântara, no Maranhão, foi negociada, dando aos estadunidenses acesso ao nosso território. Nosso Messias Jair Bolsonaro bateu continência para a bandeira dos EUA, num gesto nunca antes visto ou admitido. Nosso chanceler crê na Terra Plana e nas teorias conspiratórias de que o comunismo é culpado de tudo, e, portanto, devemos largar a China, que dá tanto lucro na balança comercial, e nos ajoelharmos aos EUA, com os quais temos déficit na balança.

Este de fato é um desgoverno dos EUA em nosso território. A grande mentira de fazer os tolos acreditarem no nacionalismo do Messias levou, na verdade, a uma situação de neocolonialismo voluntário. Voltamos a ser o quintal dos EUA. Acreditam os bolsonaristas que “Os americanos são muito melhores”, como já adiantou os Sobrinhos do Ataíde desde os anos 90.

Não, não somos todos idiotas. Este desgoverno que tem os EUA acima de tudo e de todos, e cujo Deus é “Mamon”, não me representa! Jamais!

Um grande abraço! Não passarão!

“E quest'èilfioredelpartigiano. Morto per lalibertà” Ciao!

 

COMENTÁRIOS





Coluna Livre

Alessandro de Melo

Professor Associado do Departamento de Pedagogia. Coordenador do Mestrado em Educação da Unicentro. Sociólogo. Doutor e Mestre em Educação.
Temas de política e Educação e algumas generalidades da conjuntura nacional e internacional