AgronegóciosEducaçãoEsporte e LazerGeralObituárioPolíticaRegiãoSaúdeSegurançaVagas de EmpregoVariedades
ColunistasVídeosÚltimasGaleria de Fotos
ALERTA

Paraná pode ter 30 mil casos de coronavírus no pico da epidemia, diz secretário da Saúde

Dos 10 a 20 mil casos previstos para o Paraná, segundo os estudos do Ministério da Saúde, Beto Preto esclareceu que 85% devem ser lev

quarta-feira, 25 de março de 2020 - 12:43:00

O Paraná deve ter 10 mil casos de Covid-19 no pico da epidemia, mas se prepara caso esse número chegue a 30 mil, afirmou hoje o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, em sessão da Assembleia Legislativa para explicar aos deputados os efeitos e medidas que estão sendo tomadas pelo Estado para conter a pandemia. “Para isso, contamos com 200 leitos de (Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) a mais para o caso da epidemia chegar a 40 dias. Se a situação ultrapassar esse período, temos condição de contratar até 600 novos leitos”, afirmou ele.  

Dos 10 a 20 mil casos previstos para o Paraná, segundo os estudos do Ministério da Saúde, Beto Preto esclareceu que 85% devem ser leves. Dos 15% restantes, dois terços vão precisar de tratamento em enfermaria e um terço de internamentos. “Sãos esses 15% que nos preocupam e o nosso esforço é para atendê-los da melhor forma, evitando os casos de mortalidade entre os grupos de risco”, disse.

O secretário afirmou que o Paraná está ainda no início da curva de crescimento da pandemia. "Eu acho que nós ainda estamos longe de alcançar o pico. O ministro (da Saúde, Luiz Henrique) Mandetta esta semana falou em 15 de abril. Eu acho que nós no Paraná, se conseguirmos passar esse pico um pouco mais para frente, e não deixar ele muito agudo, e trabalhar para o achatamento dessa curva é cabível que nós possamos passar por um período de menor dificuldade, menor perda de vidas humanas do que outros estados", disse. "Mas ainda estamos no início do processo. É a ascensão da curva ainda. Epidemiologicamente falando ela ainda vai ter muito para crescer. Na verdade a curva está aumentando", apontou. 

Beto Preto explicou que o combate à doença acontece em duas fases: o rastreio epidemiológico e o atendimento. A primeira etapa se dá pela observação do que vem ocorrendo na Europa e na Ásia. Com isso, investindo na fabricação e aquisição de testes rápidos e atuando firmemente em prevenção. “O paranaense tem seguido as orientações de prevenção passadas pelo Estado, como a interrupção de atividades e o isolamento domiciliar”, avaliou. 

Como se trata de uma pandemia, o secretário diz que não é possível trabalhar com números exatos. Mesmo assim, se mostrou confiante. São três planos diferentes em caso de uma crise aguda. 200 novos leitos de UTIs e 300 de enfermaria em um primeiro momento; Em um segundo estágio, com 350 leitos de UTIs e outros 500 leitos de enfermaria e, se houver um pico mais alto, existe a possibilidade, de acordo com o secretário, de 600 leitos de UTIs mapeados e contratados da rede de hospitais privados, filantrópicos e próprios exclusivamente para o enfrentamento ao Coronovírus.

TESTES

Questionado pelos deputados sobre a aquisição de testes rápidos e a falta de equipamentos como máscaras para profissionais da saúde, o secretário afirmou que o Estado está adquirindo 100 mil testes da Fundação Oswaldo Cruz, além dos que são produzidos no Paraná. "Com relação às máscaras e insumos, infelizmente as empresas não têm cumprido prazos e a procura tem sido muito alta. Só em Curitiba, houve um acréscimo de 200% na utilização de máscaras em dez dias. Estamos tentando resolver essas questões trabalhando em várias frentes”, respondeu, ele, lamentando que uma caixa de máscara que custava em torno de R$ 5,00 hoje está custando R$ 200,00.

Segundo o boletim divulgado nesta terça-feira, são 2500 casos notificados até o momento. 1844 suspeitos e 70 confirmados. Foram descartados 197 casos. Dez destes casos foram contabilizados nas últimas 24 horas em Curitiba (6), Telêmaco Borba (1), Paranavaí (1), Cascavel (1) e um caso de paciente residente fora do Estado (Brasília). Os pacientes são sete mulheres e três homens com idades entre 23 e 70 anos. Metade das confirmações vem de pessoas que estiveram em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Dubai e Itália.

A secretaria aguarda a normalização do sistema do Ministério da Saúde para validação de cerca de 600 casos negativos, já diagnosticados e descartados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Quatro pacientes confirmados com o coronavírus estão em isolamento hospitalar, três com quadro clínico considerado leve e um em estado grave. O secretário lembra que “Apesar dos números crescerem a cada dia, o Paraná registra um percentual de 0,39% de casos por 100 mil habitantes. O menor índice da região Sul”.

COMENTÁRIOS