“Entrei. Experimentei. Serviu. Comprei”. Vitrinismo e visual merchandising!

* Por Expressiva Modas

16/10/2021 09H18

Iniciamos a coluna parafraseando uma das maiores apresentadoras da história brasileira, que além de sua trajetória nas telinhas era, e ainda continua sendo, uma referência no mundo da moda.

Vamos ver se você é bom de memória. Essa fala foi ao ar durante entrevista para o programa da Eliana, em maio de 2012. “Eu vi em uma vitrine, entrei. Experimentei. Serviu. Comprei”. Se você leu e lembrou da música 7 Rings, da cantora Ariana Grande, você já se lembrou. Sim, é da apresentadora Hebe que estamos falando.

Peças extravagantes e chamativas eram sua marca registrada. Assim como a atual mulher moderna que abusa de acessórios, Hebe já usava dessa tendência a mais de quarenta anos atrás. Irreverente, divertida e talentosa, a apresentadora não tinha medo de se expressar através da moda.

Mas voltando ao assunto “Eu vi em uma vitrine, entrei. Experimentei. Serviu. Comprei” não é maravilhoso quando isso acontece? É como se o manequim tivesse sido pensado especialmente para quem passou na rua e se identificou com o que viu. Esse impacto que o cliente recebe, quando passa por uma loja, é responsável pelo vitrinismo e visual merchandising.

As técnicas são uma das principais ferramentas do marketing físico, pois é a partir das vitrines que o cliente tem o primeiro contato com a loja. O intuito principal é atrair as pessoas para dentro do comércio, mas além disso, também transmitir os valores e ideais da marca, assim como fortalecer a identidade do próprio negócio.

Além de expor produtos, a vitrine espelha a imagem da empresa e reforça noções de identificação e acolhimento com o cliente. Dessa forma, a criação de uma vitrine depende de qual o público-alvo que a empresa visa alcançar. O visual merchandising da loja também deve estar em consonância com o exposto na vitrine.

Exterior e interior devem conversar para concretizar a experiência do consumidor e assim acontecer a conversão em vendas. Para o cliente essa experiência tem que ser a mais natural e agradável possível, como expressou com naturalidade Hebe durante a entrevista: “vi em uma vitrine, entrei. Experimentei. Serviu. Comprei”.

REFERÊNCIAS

https://eescjr.com.br/blog/vitrinismo-e-visual-merchandising-entenda-suas-diferencas-e-aplicacoes-vitrine/

https://i9promocoes.com/2019/08/19/a-importancia-da-vitrine-no-merchandising/#:~:text=A%20import%C3%A2ncia%20do%20vitrinismo&text=Para%20garantir%20uma%20vitrine%20de,precisa%20%E2%80%9Cconversar%E2%80%9D%20entre%20si.

Expressiva

Há mais de 30 anos atuamos em Guarapuava e há 3 em Curitiba, oferecendo aos nossos clientes a possibilidade deles expressarem quem eles realmente são com as peças de roupas, calçados e acessórios das marcas que são as maiores referencias de moda no B

Deixe seu comentário:

Veja Mais