Estudantes da Unicentro participam de jornada de pesquisa de universidade panamenha

Apresentação de trabalhos de iniciação científica ocorreu de modo remoto

20/10/2021 14H16

Na última semana, a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) participou de um evento internacional da UTP, que é a Universidade Tecnológica do Panamá. 34 trabalhos da Unicentro foram apresentados durante a Jornada de Iniciação Científica da instituição panamenha. O grupo foi dividido em quatro salas virtuais, de acordo com as áreas do conhecimento de Engenharias, Ciências Naturais e Exatas, Ciências Sociais e Humanas e Ciências da Saúde. O diretor de Pesquisa da Unicentro, professor Luciano Farinha, salienta o diferencial para a universidade em estar presente, mesmo que de maneira remota, em um evento dessa natureza. “Essa é a primeira vez que nós estamos experimentando diferentes áreas do conhecimento participando de um evento em uma universidade fora do país. É importante e estimulante àqueles que participaram. É um desafio e é diferente pois, mesmo que de maneira remota, eles apresentaram o seu trabalho da mesma maneira que apresentamos no Encontro Anual de Iniciação Científica”.

Participaram como expositores no evento panamenho os alunos que receberam Menção Honrosa na edição 2020 do Encontro Anual de Iniciação Científica da Unicentro. Entre as pesquisas apresentadas estiveram as vinculadas ao Pibis, que é o Programa de Apoio à Inclusão Social, e ao Pibic e Pibic-EM, que são, respectivamente, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para estudantes de graduação e para estudantes do Ensino Médio. Uma das comunicadoras de trabalho científico foi a Mariana Parteka, aluna de Ensino Médio do Colégio Estadual Trajano Grácia, em Irati, que desenvolveu pesquisa sobre a evolução do cooperativismo paranaense. “Acho que é um evento que agrega muita experiência, desde o processo de começar o projeto, aprender a se adequar às normas, a interpretar e formular um texto de nível acadêmico, até a apresentação. É uma oportunidade bem rica, principalmente para mim, que ainda não terminei o Ensino Médio. Acredito que, como ouvinte internacional, conhecer os dados de como o cooperativismo evoluiu no Paraná e no Brasil, ajuda a ter uma perspectiva de como estão as situações das outras regiões do mundo, divulgar alguns dos ramos que poderiam ser melhores explorados na nossa região, além de ser um assunto que poderia render novas pesquisas em outros países e, talvez, até abra possibilidade de realizar parcerias com cooperativas internacionais”, avalia a estudante.

Mariana foi orientada pelo professor de Administração Antônio João Hocayen da Silva, que também corrobora dessa mesma projeção sobre os estudos em cooperativismo, quando divulgados para além do território nacional. “Particularmente, o tema cooperativismo paranaense, como é tratado no trabalho da Mariana Parteka, representa uma possibilidade não só de difusão e promoção do movimento cooperativista paranaense, mas uma possibilidade de que outros pesquisadores possam ter acesso a informações que, muitas vezes, ficam retidas no contexto nacional ou estadual. Então, levar esse conhecimento a outros pesquisadores pode fomentar o interesse para desenvolver, por exemplo, pesquisas tratando de estudos comparativos. O cooperativismo paranaense, em virtude do potencial que tem esse movimento no estado do Paraná, se revela um contexto social muito interessante e importante a ser analisado e estudado também por outras pesquisas científicas”.

A relação de proximidade entre a Unicentro e a Universidade Tecnológica do Panamá vem sendo construída desde o ano passado, quando alunos da UTP apresentaram seus trabalhos no Encontro Anual de Iniciação Científica da Unicentro. Agora, em 2021, a universidade panamenha retribuiu a mesma oportunidade aos alunos de iniciação científica da Unicentro. O reitor da Unicentro, professor Fábio Hernandes, fez uma fala na abertura das comunicações internacionais da Jornada de Iniciação Científica, com o intuito de agradecer a oportunidade proporcionada pela instituição panamenha às pesquisas desenvolvidas na Unicentro.“Nós estamos muito felizes com essa parceria. A UTP é uma das principais instituições do Panamá. Nós sabemos que a ciência é importante, sobretudo, a parceria para que a ciência se desenvolva e a pesquisa se desenvolva. Então, nós estamos vendo essa parceria com a UTP bastante profícua e significativa”, afirma Fábio.

Ambas as instituições de ensino já possuem outras frentes de cooperação internacional, como a participação de egressos da UTP em algumas disciplinas do MBA em Gestão Pública e Inovação da Unicentro. Além disso, as duas universidades têm debatido a possibilidade da realização de intercâmbios de estudantes de graduação e pós-graduação. Essas atividades, para o pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão da UTP, Alexis Tejedor de León, são de interesse mútuo tanto para a Universidade Tecnológica do Panamá, quanto para a Unicentro. “Abre-se um leque de oportunidades para ambas as instituições de ensino superior por meio da mobilidade futura de nossos estudantes, professores, pesquisadores, que poderão realizar, em conjunto, atividades acadêmicas de pesquisa e também culturais. Adicionalmente se poderá fortalecer as redes e grupos de pesquisa”, finaliza.

Deixe seu comentário:

Veja Mais