O crescente número de vítimas em golpes pelo aplicativo do WhatsApp

13/01/2021 15H59

Com o atual cenário vivenciado pela pandemia o mundo em geral fica mais tempo conectado virtualmente, o que foi visto como uma oportunidade para os golpistas.

Os usuários do mensageiro WhatsApp estão sujeitos a um novo golpe baseado no uso dos códigos de verificação. O objetivo dos criminosos é ter acesso as conversas de WhatsApp de usuários que não possuem a verificação em duas etapas ativada e assim praticar estelionatos com os contatos das vítimas.

Um dos “modus operandi” do crime de estelionato mais conhecido é o envio de boletos (de depósito) para estes contatos, informando que estão "sem limite no aplicativo do banco para realizar o pagamento" e então, pedem para que a possível nova vítima realize o pagamento do boleto como um favor e que no dia seguinte o valor será "ressarcido".

O golpe começa com algum tipo de "oferta" ou ligação, e, no decorrer dela, se a vítima concordar com a "oferta", uma mensagem de verificação do WhatsApp de 6 dígitos é enviada por SMS pro celular da vítima. O golpista informa à vítima que a mesma receberá um código de verificação da "oferta" e pedem que o código seja fornecido a eles.

Na verdade, os criminosos solicitaram o acesso à conta da vítima a partir de outro celular e, por esse motivo, uma mensagem com um código de seis dígitos automática foi encaminhada para o número registrado.

Uma vez que o usuário fornece os dados recebidos, os criminosos concluem o processo de verificação (lá no outro celular). Um aviso do WhatsApp é enviado logo em seguida informando à vítima que ela perdeu acesso ao aplicativo. Nesse golpe é comum que os criminosos ativem a verificação em duas etapas rapidamente, dificultando assim uma possível recuperação.

Como se prevenir desse tipo de golpe?

Um jeito seguro de prevenção é realizar a ativação da verificação em duas etapas do WhatsApp, disponível nos ajustes do aplicativo > conta > verificação em duas etapas. Nesta configuração, defina um código de 6 dígitos e um e-mail de confiança para recuperação da conta caso perca o código. Isso vai prevenir que seu número de WhatsApp seja registrado em outro aparelho.

A segunda coisa é desconfiar desse tipo de oferta e ligação. Temos exemplo de golpes como esse acontecerem em vendas de carro, convites de participação em eventos (mesmo em plena pandemia!), portanto, o bom senso é a defesa principal contra esses golpistas.

Caso eu “caia” no golpe, o que fazer?

A primeira coisa a ser feita é avisar familiares e contatos mais próximos para que não respondam o golpista tampouco transfiram ou efetuem o pagamento de boletos enviados e imediatamente comparecer a delegacia mais próxima para elaboração de uma boletim de ocorrência. Em casos de situações que envolvam prejuízos financeiros, morais ou até mesmo a imagem da vítima, deve ser informado a polícia para instauração de investigação bem como é indispensável a contratação de profissional adequado para análise do caso concreto para aplicar as medidas cabíveis.

Independente

Deixe seu comentário:

Veja Mais