Paraná desenvolve nova matriz curricular para formação e atualização de policiais civis

O trabalho, que faz parte do Plano Estratégico 2019-2023 instituído pela gestão atual, vem sendo feito ao longo deste ano através da Escola Superior de Polícia Civil e busca modernizar o plano de ensino e trazer melhorias tanto para os policiais civis como para a sociedade

12/05/2022 09H15

(Foto: PCPR)

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está desenvolvendo uma nova matriz curricular de formação e atualização dos policiais civis do Estado. O trabalho, que faz parte do Plano Estratégico 2019-2023 instituído pela gestão, vem sendo feito ao longo deste ano através da Escola Superior de Polícia Civil (ESPC) e busca modernizar o plano de ensino e trazer melhorias tanto para os policiais civis como para a sociedade.

O quadro de ensino ficou dividido em seis áreas temáticas, que vão de investigação até relações com a sociedade. São elas: investigação policial criminal; conhecimento jurídico-criminal; inquérito policial e PPJ-e; gestão administrativa institucional e planejamento; operação policial; e formação humanista e cultura geral

As mudanças, além de trazer melhorias na formação de conhecimento dos policiais, têm como objetivo auxiliar na visão de plano de carreira, visto que o servidor passa a visualizar quais áreas temáticas de formação e aperfeiçoamento têm para se especializar.

O delegado-geral Silvio Rockemback afirma que as mudanças no quadro de ensino eram metas a serem alcançadas pelo Plano Estratégico. “É uma forma de aperfeiçoar o serviço, uma vez que o atendimento prestado à população pelo policial guarda uma relação direta com o nível de qualificação e capacitação que a corporação disponibiliza para os servidores. É um grande avanço para que se atinja o nível de excelência nas atividades de polícia judiciária”, afirmou.

O delegado Rafael Ferreira Vianna, diretor da Escola, disse que a matriz busca enquadrar disciplinas básicas de formação, intermediárias para atualização e matérias avançadas para a especialização dos servidores. “O policial civil, ao entrar na carreira, já poderá visualizar quais áreas do conhecimento precisará dominar para ser um bom policial, podendo ao longo de sua vida profissional definir em qual campo pretende aprofundar os estudos e se especializar”, disse.

Os benefícios das mudanças e melhorias realizadas na matriz curricular também alcançarão a sociedade, já que a formação nivelada interfere no trabalho desempenhado diariamente pelo policial civil. “A formação mais completa do policial vai permitir que o serviço prestado por ele seja mais técnico e eficiente ao público”, ressaltou Vianna.

As reuniões de ajuste do plano de ensino contaram com a presença do diretor da Escola, policiais, professores e juristas para determinar as mudanças e melhorias, em consonância com a matriz curricular sugerida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp/MJ).

PROFESSORES 

A nova matriz curricular traz o diferencial da habilitação de professores para compor o corpo docente permanente da ESPC, que será realizada através de processo seletivo interno.

Com as áreas temáticas definidas, ficará a cargo dos docentes a definição das ementas e o conteúdo programático das disciplinas que compõem o quadro. A estruturação permite que a ESPC tenha uma organização acadêmica, ensino e pesquisa bem definidos.

PLANO ESTRATÉGICO 

As melhorias no quadro de ensino da formação de policiais civis fazem parte do plano estratégico da PCPR 2019-2023, instituído pela atual gestão, o qual tem o objetivo de gerar desenvolvimento institucional a médio e longo prazos.

A escolha da nova matriz curricular visa trazer para a instituição reconhecimento pela excelência na investigação criminal técnica científica e ponto de referência em gestão de segurança pública. Com isso, os resultados das investigações poderão ser entregues com mais eficiência e precisão à sociedade.

Deixe seu comentário:

Veja Mais