Sozinhos somos um sopro, mas juntos viramos uma tempestade!

* Por Janaína Naumann

22/01/2022 14H05

Eu tenho falado muito nos últimos meses sobre a importância que o ano de 2022 terá sobre nossas vidas.

Além do enfrentamento à pandemia, temos vários novos desafios pela frente.

O isolamento trouxe à tona um sentimento de solidão, uma falsa impressão de que nossas dificuldades são apenas nossas, e que ninguém está ao nosso lado, né?

Mas essa á realmente uma falsa impressão!

Não estamos sozinhos. Somos dezenas de milhares de pessoas que têm os mesmos pensamentos, os mesmos ideais e, principalmente, as mesmas esperanças por dias melhores.

Não podemos mais apenas “ser alguém na multidão”, lembrados como “importantes” em datas específicas, ou período em que convém àqueles que poderiam realmente estar construindo um mundo mais igualitário para todos.

Assistimos passivos a encenações, onde durante o dia simulam ser adversários, ou inimigos. Mas à noite, ahhhh, às noites, se reúnem e discutem o que, mais uma vez, lhes convém.

Ninguém é mais do que ninguém, não importa o cargo ou situação econômica que desfrute. Mas, também, ninguém é menos que ninguém. E isso precisa ser respeitado.

Este ano será decisivo, e todas as vozes, que solitárias são apenas um sopro, precisam se unir e se transformar uma tempestade. Um verdadeiro temporal, que revire o que está errado e traga à tona os bons pensamentos, as novas propostas.

Sozinhos, não chegamos a lugar algum. Mas, unidos, somos a verdadeira mudança.

Que 2022 traga os bons ventos da esperança por dias melhores, da mudança que todos têm guardada no coração e na alma.

Janaína Naumann

Biomédica, mestre em Tecnologia em saúde. Docente no ensino superior com experiência em gestão educacional. Atualmente é Presidente da Associação Paranaense de Biomedicina APRBM, Conselheira Titular do Conselho Federal de Biomedicina - cfbm e Vice pr

Deixe seu comentário:

Veja Mais